2 de set de 2012

"Era vidro e se quebrou": o que fazer quando um relacionamento termina.


           É, acabou mesmo. E agora?
A maioria das pessoas já passou pela experiência de terminar um relacionamento. Os relacionamentos terminam de várias formas. Às vezes, a relação está desgastada e gera o fim, outras vezes a pessoa é “pega” de surpresa pelo “amado” que sem uma justificativa termina repentinamente a relação. Em alguns casos, há quem se apaixone por outra pessoa, ou diz que vocês têm objetivos de vida diferentes.
Muitas vezes, a primeira reação de quem é deixado pelo “amado” é tentar ficar pensando e repensando os motivos que levaram a pessoa terminar o relacionamento, o que pode ter feito de errado, ou o que poderia ter feito melhor, porém tal atitude aumentará ainda mais o sofrimento pois não temos real acesso ao que acontece no coração do outro.
Mas o que fazer? O primeiro passo é aceitar que acabou mesmo. Aceitar essa verdade faz com que você pare de canalizar sua energia para pensamentos ruminantes do passado e ficar “maquinando” esperanças para o futuro.
Dói mesmo, e às vezes dói muito! Você poderá vivenciar sentimentos de tristeza, rejeição, raiva, decepção, frustração, dentre outros. Então se permita chorar. O sentimento de luto faz parte deste processo, afinal uma perda aconteceu: das expectativas que foram colocadas no relacionamento, da companhia, das viagens e passeios sonhados e do “amado” em si. Nesse momento conte com a ajuda de pessoas próximas a você. Fale com alguém que seja de sua confiança, vai fazer bem. Não há um período estipulado para o processo de luto, porém ficar sofrendo por muito tempo pode levar a desencadear transtornos de humor depressivos ou ansiosos. Então chega a hora de seguir em frente! Caso seja muito difícil sozinho, procure ajuda profissional!
É preciso retomar sua vida sem aquela pessoa, pois existiu um momento em que você era capaz de viver sem ela. Assim, escolha um dia que simbolize o início de sua nova vida, em que acontecerá um processo de mudança. Sabe aquele curso ou projeto que você tanto queria fazer mas não dava tempo? Sabe aquela amiga (o) que você queria muito ir visitar mas não encontra jeito? Queria conhecer aquela balada ou aquele barzinho que vocês acabaram não indo? Esse é o momento de retomar várias coisas que eram importantes para você e que de alguma forma ficaram para segundo plano em função do relacionamento. É hora de ocupar-se!
A nossa memória é carregada de afeto, então evite “gatilhos” que te façam lembrar o (a) Ex: músicas, filmes, lugares, fotos, presentes, cartões, cartinhas. Evitar essas coisas ajudam a esquecer em um menor espaço de tempo. Existem as pessoas que preferem jogar todas as recordações fora, outras preferem guardar. Para estes últimos, coloque tudo em uma caixa bem lacrada e guarde em um local que não fique visível a você. Essa “faxina” vale também para o computador e redes sociais. Desapegue-se!
Já chorou, desabafou, sofreu? Pronto! Agora é hora de virar a página. Evite falar sobre o assunto. Para aqueles que insistem em lhe perguntar, apenas diga que passou e inicie outro assunto.
Deu aquela relaxada no visual e no seu autocuidado enquanto estava no relacionamento? É hora de se cuidar! Sentir-se bonita (o) ajuda a superar essa fase. É hora de investir em você. Mude o visual, arrume-se e coloque um sorriso no rosto, pois agora começa o relacionamento mais importante e mais amoroso que você precisa ter: consigo mesmo!
Pense nessa experiência como um aprendizado e o que você pode tirar de lições dessa situação e deixe as portas do coração abertas para amar novamente!

“Um dia você vai abrir seu coração, e vai tocar de novo. E não será para agradar sua mãe, não será para me agradar,  será por você. Porque...a música...e o amor...trarão alegria para você.”
Do filme: "A última música"

Psicoterapeuta e  Psicóloga Clínica
CRP 23049/04
(34) 3083-6720

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...