30 de dez de 2012

Depressão pós-férias




Estamos em período de férias, muitas pessoas estão viajando, e logo é chegada a hora de voltar... No artigo desta semana gostaria de falar sobre um assunto que atinge aproximadamente 23% dos brasileiros: a depressão pós férias.
Férias é sempre bom não é? Sabemos que aqueles preciosos dias que nos fazem sair da rotina são extremamente importantes e primordiais para retornar ao trabalho com gás total. Mas você sabia que para algumas pessoas a retomada ao trabalho pode ser difícil?
Nas férias ficamos longe de muitas obrigações. A volta ao trabalho implica em voltar para o trânsito caótico das grandes cidades, os engarrafamentos, os horários, os compromissos, a agenda apertada.Isso tudo com as lembranças de dias felizes e tranqüilos das férias
Todos nós sabemos que a volta à realidade é dura, e que as demandas da vida exigem que tenhamos paciência, persistência e disposição para o trabalho. Mas, segundo pesquisa publicada pela Revista Istoé, uma parcela em torno de 23% dos brasileiros, essa retomada é mais difícil e trabalhosa.

Quase todo mundo fica triste quando volta ao trabalho, mas ela passa. Contudo, se essa tristeza perdurar por mais de 14 dias, merece uma atenção mais cuidadosa, porque pode estar se tornando a depressão pós férias. Muitas vezes, nesse período, problemas que foram mal resolvidos durante o ano trabalhado podem tomar proporções desastrosas. Nesse caso as férias servem para corroborar sentimentos profissionais inadequados que não foram bem resolvidos e trabalhados.

Nesse sentido, as férias servem como gatilho para o início de um processo depressivo amplo, que tem como causa a grande insatisfação profissional, presente em 93% das pessoas que sofrem com a depressão pós férias.


A insatisfação profissional vem de situações estressantes no ambiente de trabalho, como a falta de perspectivas de crescimento na empresa ou conflitos com colegas. Nesses casos, quanto mais ficar longe do trabalho melhor, as férias são o paraíso e voltar para o trabalho pode ser o inferno. É uma tortura, por exemplo, pensar em acordar cedo de novo para trabalhar, rever as mesmas pessoas, fazer as mesmas coisas todos os dias.


Entre os sintomas mais comum da depressão pós férias podemos destacar: dores musculares; dor de cabeça; cansaço; insônia; gastrite e outros problemas de estomago;angústia;ansiedade;raiva;culpa;aumento do uso de substâncias (álcool, drogas);tabagismo.
Mas, então, o que fazer? Como administrar os problemas?

O primeiro passo é resignar-se, ou seja, se você não puder mudar o trabalho, e nem de colegas, procure fazer uma atividade que te dê prazer, que te proporcione um aumento na autoestima. Escolha um hobby ou um trabalho voluntário, em que veja um sentido para sua vida.


O segundo, pode ser mais radical, buscar um novo trabalho, um novo emprego, ou até mesmo sair do comodismo e procurar ser dono do próprio nariz, empreendendo um negócio próprio, talvez...


Também dá pra minimizar os sintomas pós férias retomando a rotina do trabalho uns dias antes de retornar para a empresa. Nas férias costumamos não ter horário pra dormir, nem pra acordar, nem pra nada, não é verdade. Então uma boa estratégia é voltar de viagem, no mínimo 3 dias antes, dormir mais cedo, ir se preparando para o retorno. Fracionar as férias também pode ser uma boa alternativa para ajudar a minimizar os danos da hora de retornar.


Como preparação é legal também avaliar sua carreira, identificar o que está fazendo e o que gostaria de fazer, avaliar se está feliz com a profissão, como se vê daqui a alguns anos nessa profissão, fazendo o que faz hoje, será que estará feliz?


Uma coisa é certa, antes de qualquer salário, o mais importante é a satisfação no que se faz. Quando se ama o que faz, o salário pode não ser tão polpudo quanto se esperava, mas fazemos render muito se estamos felizes, fazendo o que amamos e nos sentindo realizados.


Converse também com seu superior, peça feedbacks, avalie o seu rendimento na empresa. Muitas vezes temos a impressão errada ao nosso próprio respeito, e é importante saber o que a empresa espera de você. Quem sabe não é você quem está se cobrando demais...


Pense nisso!!!!



Desejo a todos um ano muito produtivo e repleto de boas oportunidades!!!!!!!! Mas com foco no bem estar e em uma vida com mais qualidade!!!!


Psicóloga – CRP 04/36616
Terapeuta cognitivo-comportamental
(34) 3083-6720
     (34) 8403 7734


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...