21 de jan de 2013

A Relação Professor e Aluno no Processo de Aprendizagem




https://mail-attachment.googleusercontent.com/attachment/u/2/?ui=2&ik=4316123860&view=att&th=13c5d3b8fc445c0b&attid=0.1&disp=inline&realattid=2594ba37d57bc388_0.2&safe=1&zw&saduie=AG9B_P-zkOn7LLoR5e6bVDyf_ahh&sadet=1358774743050&sads=zDVBvLQTpNbxEndkEFvsHY77n0cA relação professor/aluno representa uma busca no processo ensino-aprendizagem, onde esta interação ultrapassa os limites do processo educativo, pois deixa cicatrizes para ambos nesta relação, pois ser professor não é apenas um transmissor do conhecimento, mas sim um educador onde sua tarefa é também de preparar o aluno para a vida.

Será possível apontar as oportunidades que o futuro educador poderá ter, ao estudar e analisar a educação, a fim de poder em sua realidade educacional ser colaborador convicto de suas realizações através de suas ações. Esclarecerá as relações entre Professor e Aluno em sala de aula e comparar este relacionamento com o processo de Aprendizagem elaborado por Carl Rogers na Abordagem Centrada na Pessoa, descrevendo assim todas as técnicas educativas utilizadas na construção de sua abordagem.

O professor está incumbido de estabelecer uma mediação entre o aluno e o conhecimento de maneira atuante e prazerosa, pois é nessa relação que o aluno deve adquirir a maior gama de conhecimento de forma que possa aplicá-la na sua vida futura.

Para tanto o professor, segundo Antunes (1996), precisa se comprometer com as mudanças em suas ideologias e formas de pensar ultrapassadas, que traz vestígios de uma pedagogia que apenas deposita conhecimento nos alunos, desconsiderando os aspectos afetivos envolvidos no processo de ensino-aprendizagem.

Na escola o professor deve ser uma fonte de conhecimento e superar as deficiências que são encontradas no meio do caminho e recuperar o verdadeiro papel de educador, implementando novos conceitos e técnicas que ajude na reformulação desse processo de ensino.

Segundo Rogers “Cada educador eficiente por sua vez, deve desenvolver um estilo próprio para facilitar a aprendizagem dos alunos” (Rogers, 1972).

Por outro lado a relação com o aluno implica na troca de experiências e conhecimentos acadêmicos onde ambos se entregam na mesma direção pedagógica na busca do sentido dessa relação.

Diante desses pontos levantados de ambos podemos constatar que está relação de sucesso é inegável para o bem estar psicossocial tanto do professor quanto do aluno e possíveis conflitos dificultam a transmissão do conhecimento, e se espera do professor que ele realmente não tenha somente métodos tradicionais de ensino, mas que tenha colaboração e capacidade de empatia na convivência com os alunos, a flexibilidade desperta no aluno uma postura de colaboração em sala de aula, pois muitos professores considerados “ carrascos” por eles criam conflitos em sala de aula e desperta no aluno desinteresse em sua aula e consequentemente atribui um fracasso escolar nessa relação mau construída em sala de aula, mas ao mesmo tempo é necessário atribuir limites a esta flexibilidade pois temos um papel de educador e ajudar ao educando a elaborar de forma positiva seu desempenho escolar e consequentemente o sucesso no contexto escolar e muito disso será consequência de uma relação professor/aluno bem resolvida e harmoniosa.

                
Fausto Rocha Fernandes

                                     Psicólogo Humanista Fenomenológico- Existencial
Docente ULBRA - Universidade Luterana do Brasil
                                CRP: 04/25798
                   034- 88032041, 034- 30836720

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...