9 de abr de 2013

Mentalidade de vítima: acabe com ela!



Por Thamy de Morais Miranda 

Diariamente convivemos com pessoas que, diante de suas dificuldades ou erros, tendem a culpar os outros e não se responsabilizar pelos seus atos. É claro que nem tudo temos culpa e muitas coisas são justificáveis. No entanto, as pessoas que insistem em se justificarem o tempo todo, em atribuir a culpa de seus próprios insucessos ao outro e ao meio e a procrastinar mudanças em si, com o argumento de que “não vai adiantar”, “ninguém vai se importar”, “ninguém me ajuda”, "Deus me odeia", pode estar tendo uma mentalidade de vítima.

Estamos na situação de vítimas quando, por algum motivo, sofremos algum tipo de abuso, exploração, injustiça, invasão, dentre outros. A mentalidade de vítima, por sua vez, ocorre quando a pessoa passa a acreditar que tudo e todos querem explora-la, a atribuir todas as responsabilidades de sua vida aos outros e não a si mesma e a expor seus pensamentos de forma distorcida, não buscando mudanças.

É comum vermos pessoas com essa mentalidade em frases do tipo “ele faz isso porque ele tem dinheiro, eu não tenho como”, “ela viaja porque ela tem tempo, eu não...”, “claro que ela foi promovida, ela conhecia todos da empresa e eu não...”, “ele pode estudar porque nunca teve que trabalhar...”, e por aí vai.

A história de nossas vidas são diferentes das dos outros, mas isso não significa que não possamos buscar (mesmo com mais dificuldade) o sucesso profissional, um relacionamento feliz, uma casa própria, estudar, falar novos idiomas, conhecer lugares diferentes, etc. Se não fosse possível, não haveriam tantas histórias de superação, como por exemplo, de pessoas que viveram com muitas dificuldades e se tornaram importantíssimas para sociedade,de  pessoas que não tiveram condições de estudarem em boas escolas e passaram na faculdade e por aí vai. Reforço novamente que as questões sociais nos afetam sim, e muito, além de nos impedir de muitas coisas, mas na mentalidade de vítima isso se acomoda num nível muito além dos fatos e das evidências.

A pessoa que possui a mentalidade de vítima pode, inclusive, se tornar chata no convívio social, pois o seu discurso é sempre negativo, como o olhar sempre voltado para as consequências que o meio externo produz em sua vida. Isso faz com que a pessoa passe a não enxergar as oportunidades de melhorar, de conseguir alcançar seus objetivos e ser feliz. Além disso, a pessoa com essa mentalidade, ao não sentir-se culpada, tende a cobrar demais das pessoas ao seu redor.

A mentalidade de vítima é uma aprendizagem e, sem dúvidas, é consequente de vários eventos e padrões que conduziram a pessoa a pensar assim. Mesmo que esse movimento seja identificado, pode ser difícil saber como mudar. Para isso, o processo de psicoterapia pode ser iluminador. Através da psicoterapia, o paciente poderá identificar seus pensamentos, analisar se existem evidências que os comprovem, como também modificá-los e passar a agir de forma a se sentir bem, resgatar sua autoestima e alcançar seus objetivos.

O principal remédio para combater a vitimização é ver-se como alguém capaz de assumir a responsabilidade de sua própria vida, ser autor de sua história e principal agente na conquista de seus sonhos!


Psicoterapeuta Cognitivo-Comportamental
  Especializanda em Neuropsicologia
CRP 04/3434-6 
Tel.: (34) 3083-6720


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...