29 de ago de 2013

Aconselhamento Biográfico



Antroposofia (do grego anthropós-homem- e Sophia- sabedoria) significa sabedoria a respeito do homem.
A medicina antroposófica foi criada pelo filósofo austríaco Rudolf Steiner e pela Dra. Ita Wegman no ano de 1920 em Arlesheim na Suíça. Tem como princípio a ampliação da visão do ser humano compreendendo-o como uma organização física, vital, emocional e espiritual.
O trabalho biográfico é uma oportunidade de reconhecer o caminho de vida percorrido e seus encontros, compondo a própria história, criando novas possibilidades para o futuro. É um processo que estimula o indivíduo a encontrar as respostas para as suas expectativas, sendo ele o personagem principal de sua história, que pode descobrir ou reencontrar o seu papel na vida. A visão da Biografia Humana é norteada pela Antroposofia, que aborda as três instâncias do ser humano: o aspecto biológico, o aspecto emocional ou anímico e o aspecto espiritual em suas diversas fases de desenvolvimento, que se pontuam de 7 em 7 anos.
Se observarmos o movimento da vida, percebemos que existem fases de vivências de crises. Estas não ocorrem simplesmente para nos trazer sofrimento, mas, junto com este, a possibilidade de transformação.
Assim como a dor, são momentos de alerta que nos avisam de que algo na vida tem que mudar, tem que ser diferente.
Pode ser que elementos conhecidos, do passado, e/ou momentos desconhecidos do futuro se encontram e provocam o momento do presente.
Observamos esses acontecimentos aproximadamente a cada 7 anos  -  o ritmo setenial.
O Processo Biográfico trabalha estes 3 elementos : passado, presente e futuro. Nele, dá-se atenção não somente ao que é comum a cada fase de desenvolvimento e a cada faixa etária, mas também ao que é particular, fenômenos que às vezes só acontecem à um indivíduo em particular, como por ex. assaltos, mortes, doenças, agressões, separações, etc.., e o que os mesmos podem estar significando na vida deste indivíduo. Busca-se o discernimento do que é comum à determinada fase e o que é específico de cada um, ou seja, o sentido disto tudo. Este processo estimula o próprio indivíduo a encontrar as respostas para suas expectativas e que seja ele mesmo o escritor e personagem principal de sua estória, levando-o descobrir ou reencontrar seu papel na vida.
Até os 21 anos, as forças vitais se ocupam com o crescimento e amadurecimento orgânico corporal ; a vida, até então,é sempre modificação física, onde ossos, órgãos e peles, estão todavia se formando e só atingem a maturidade nesta idade.
Dos 21 aos 42 anos há uma fase de manutenção e estabilidade na evolução corpórea, que a partir dos 42 começa a declinar biologicamente. É o princípio do processo de envelhecimento.
Até os 21 anos, o grau de vitalidade é muito maior do que o de consciência, e a partir dos 42, o processo de degeneração leva a que o grau de consciência aumente cada vez mais e diminua o de vitalidade.
A forma mais concreta e simples de perceber que cada indivíduo é único, é a impressão digital. A “Individualidade” permeia cada célula e todo o organismo.
A biografia de uma vida pode ser comparada ao dia, com sua manhã, tarde e noite. Demoramos para estar totalmente acordados; com o anoitecer, vamos nos desligando do corpo, assim como na vida vai ocorrendo a maturidade, passando da velhice à morte.
Do ponto de vista da alma, ou seja, do nosso pensar, sentir e agir,      o desenvolvimento tem mais escolha e livre arbítrio, pois podemos tanto nos ligar ao aspecto material e corpóreo da existência, que decresce com o passar dos anos, da mesma forma que a vitalidade, ou nos ligar ao aspecto espiritual da nossa natureza e crescermos em consciência e humanidade.
Nos primeiros 21 anos a tarefa é crescer e desenvolver-se. Dos 21 aos 42 anos a tarefa é conhecer-se e aceitar-se. A partir dos 42 atarefa é doar-se.
Assim, a abordagem  antroposófica resgata a imagem do ser humano saudável e suas relações sociais, espirituais, hereditárias e individuais. Para tanto pode-se utilizar medicamentos obtidos da natureza a partir de substâncias minerais, vegetais ou animais. Os medicamentos antroposóficos estimulam as forças autocurativas do organismo proporcionando um modelo orientador para o órgão ou sistema doente. Muitos são dinamizados, outros são feitos a partir de tinturas, extratos secos e chás.
As terapias antroposóficas também representam um importante recurso no resgate à imagem saudável do ser humano. Dentre elas temos a massagem rítmica, terapia artística, eurritmia curativa, terapia biográfica e meditação.


Psicóloga e Terapeuta Floral.


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...