25 de mai de 2017

Confiar


Para realizar é preciso confiar! Esta poderia ser uma dentre milhares de frases motivacionais e inspiradoras que encontramos frequentemente na internet. E por vezes, precisamos delas. Para alimentar nossas esperanças, para crermos que vale a pena seguir adiante. Para entendermos que muitos dos que venceram foram seres humanos como nós e podem ter um conselho precioso a fornecer.
  Confiar em si mesmo é fundamental! Mas, por que então nos sabotamos? Por que dizemos que aquilo não é para nós? Por que dizemos que o outro é sempre melhor? O que nos falta para entendermos que podemos conseguir?
  Talvez, lendo até aqui você diga: ei espere! Nós não podemos tudo? De fato, não! Há muitas coisas que não podemos mudar. Mas, podemos muito! Principalmente, aquelas que dizem respeito a nós mesmos. A grande questão é: o quão consciente disso nós estamos?
  Ao longo da vida, tivemos uma série de aprendizagens. Aprendemos através de exemplos, contextos, experiências, livros, modelos e muito mais. Mas, a medida que você aprende, você diminui a frequência que pensa naquilo.
  Assim, quando você está aprendendo a dirigir, possivelmente você estará extremamente consciente do processo. Quando pisar na embreagem, quando soltá-la vagarosamente, quando acelerar, quando passar da primeira para segunda marcha, quando der seta. Você se mantém atento a absolutamente tudo ao seu redor, buscando o melhor comportamento e a melhor reação para cada situação. Se um carro para a sua frente, você precisa estar atento para ir freando, diminuindo a velocidade, para pisar na embreagem e parar o carro, sem apagá-lo. Depois que o carro a frente sair, é sua vez. Você precisa se preparar: primeira marcha, solta levemente a embreagem enquanto acelera levemente e vai. Com o tempo, todo este processo se torna automático. E se você já tem algum tempo na direção, sabe que hoje o seu cérebro lhe permite comandar a direção pensando na conta que você tem que pagar, nas compras que irá fazer na padaria, no quanto o seu chefe abusou de você neste dia. Você fica no piloto automático.
  Este piloto automático não é só para habilidades. Ele serve também a outros tipos de comportamento e reações. E o executamos inclusive no processamento de nossos pensamentos. Estamos acostumados na utilização de determinados padrões para pensarmos sobre nós mesmos, sobre o mundo ao nosso redor e sobre as pessoas com as quais convivemos. E, normalmente quando estamos no piloto automático ficamos alheios a um pensamento mais consciente e de uma interpretação melhor que leve em consideração como estamos nos sentindo, como está o nosso corpo. Simplesmente nos deixamos levar, porque acreditamos que se aprendemos a levar a vida assim, assim ela deve ser.
  Será? E se eu tiver aprendido por conta de algumas experiências infelizes de que não sou capaz de falar em público? Devo me conformar e aceitar este trágico fim que me espera? Devo, então, crer que se em qualquer momento de minha vida surgir alguma oportunidade que me exija tal habilidade, irei abdicar e deixar para outro que mereça? Não. Definitivamente não. Você pode pensar de uma maneira diferente. E, portanto agir de forma distinta.
  Você pode começar a confiar que ainda não desenvolveu tal habilidade. Mas, que pode desenvolvê-la, mesmo que isso envolva um treino sério e alguns sacrifícios. As mudanças podem nos requerer alguns sacrifícios. Mas, você pode confiar em si mesmo!
  “Eu já tentei, já fiz milhares de coisas.” “Já fiz tudo que eu podia!” Bacana! Mas, você estava se sentindo autoconfiante? Dê-se uma oportunidade de tentar novamente, agora se utilizando deste novo recurso.
   Há muitos métodos e formas de se desenvolver autoconfiança. E é claro que uma postagem jamais seria capaz de abarcar tamanho fenômeno. Entretanto, algumas dicas podem lhe ser úteis. Se você se sente paralisado e incapacitado para desenvolver tal recurso procure ajuda de um profissional.

  Um caminho útil para desenvolvimento da autoconfiança é a saída do “piloto automático” para o alcance da atenção plena. Ellen Langer, uma das pioneiras no mindfulness (técnica de uso da atenção plena) diz: "A falta de atenção não é estupidez", explica. "Você aprende algo e começa a pensar só daquela forma". "Às vezes não vemos o que está na nossa frente, porque achamos que já sabemos das coisas, mas não sabemos. Independentemente do que esteja fazendo, fazer com consciência plena é muito melhor."  Olhar ao redor e ver como está o próprio ambiente. Talvez, não é que você não seja capaz, é o ambiente que não lhe permite demonstrar toda sua potencialidade. Talvez, você precise desenvolver alguns recursos antes de querer chegar até algum lugar, mas você pode. Talvez, você só esteja com medo de ser punido por aqueles que estão ao redor. Receio das críticas, da rejeição, do abandono. Logo, prestar atenção em si e na situação momento a momento pode ser muito útil para lhe fornecer informações sobre o que você está pensando, sentindo, vivendo.
  Outra dica importante pode ser você estabelecer pequenas metas e pensar nos passos que você deve traçar para alcança-la. E ir desenvolvendo, passo por passo. E em cada um deles, continuar atento a tudo que eles despertam em você. Ali, aproveite para identificar seus pontos fortes e pontos fracos. Em que eu sou bom? Como posso utilizar isso para o meu bem-estar e para minha felicidade! E identificar os pontos fracos. Em que devo melhorar? Como posso fazer para conseguir desenvolver isso de uma forma mais positiva?
  E a medida que cada conquista boa, for aparecendo em sua vida. Parabenize-se! Reserve um tempo para perceber o quanto aquela ação que você escolheu, trouxe a você consequências boas. Entenda que suas escolhas aliadas a seus comportamentos e atitudes permitiram que você tivesse aquela vitória. Somos muito punitivos. Se trancarmos a porta todos os dias ao sair, não nos parabenizaremos. Mas, se esquecermos de trancar um dia, ao chegarmos, nos criticaremos, brigaremos conosco mesmo por minutos a fio. Vamos minando nossa autoconfiança. E quanto mais desconfiamos de nós mesmos, mais nos punimos por uma tentativa fracassada. Se você não confia em si mesmo para expressar seus sentimentos e quando tenta fazê-lo o outro reage mal, você se sente realmente fracassado nesta habilidade. E não é assim que nos permitiremos mudar.
  A mudança virá quando nos dispusermos a fazer diferente! E por isso, a última dica tenta unir as outras. Comece a cuidar mais de você! Cuide de sua alimentação, de seu corpo, de sua rotina, de sua agenda. Estabeleça consigo mesmo o compromisso de levar uma vida mais equilibrada, mais saudável e principalmente, mais alinhada aos valores que você carrega dentro de si. Cuide de sua aparência, de suas amizades, do seu entorno. E portanto, cuide da saúde de sua mente. Comece a ouvir quais pensamentos costumam aparecer mais em sua cabeça e diferencie aqueles que te ajudam daqueles que te sabotam. E comece a nutrir os que te favorecem. Estabeleça as pequenas metas e as realize. Sinta que você conseguiu e crie outras mais desafiadoras. Saia do piloto automático, mantendo-se consciente do presente e se permitindo entender o que está passando e se permitindo assumir a responsabilidade de que você é um agente deste mundo incrível, cheio de possibilidades.

Fontes extras:
http://epocanegocios.globo.com/Vida/noticia/2015/11/todos-estamos-sofrendo-com-desatencao-diz-mae-do-mindfulness.html
http://www.comeceasaber.com/autoconfianca


Filipe Castro 
Psicólogo clínico
Fundador e diretor da Comece a saber
Acolher: espaço terapêutico 
Fone: 3083-6720

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...